Pré-Projeto de Pesquisa Pronto

Então você está nesta fase tão importante da construção de um TCC e procura um Pré-Projeto de Pesquisa Pronto para se basear? Trago neste artigo um exemplo comentado parte a parte, (+ 65 exemplos prontos) que vão te ajudar a escrever o seu, esteja você fazendo um pré-projeto de TCC, anteprojeto ou ainda projeto de pesquisa (como denominam as instituições) em qualquer área.

Para um Pré-projeto de TCC Pronto, seja ele de monografia ou qualquer outro tipo de TCC, você pode utilizar a mesma base que apresento abaixo, ok? Ah, e o modelo que trago é de um pré-projeto de pesquisa em Pedagogia, mas com os comentários de cada item você conseguirá adaptar para sua área de formação.


Esteja você fazendo graduação ou uma pós-graduação (especialização) a base é a mesma.

Outro ponto importante deste artigo é que você vai encontrar links que vão te ajudar a desenvolver os pontos do seu projeto. Aproveite.

 

Pré-projeto de TCC Pronto
Um pré-projeto é um cartão de visita de monografias, TCCs, artigos acadêmicos, dissertações de mestrado, teses de doutorados e qualquer outro trabalho que precise do rigor científico

 
 

Porque escrever um pré-projeto de pesquisa?

O pré-projeto de pesquisa é uma importante parte da produção científica e podemos dizer que ele é como um cartão de visita de monografias, TCCs, artigos acadêmicos, dissertações de mestrado, teses de doutorados e qualquer outro trabalho que precise do rigor científico, funcionando como um roteiro para a elaboração de pesquisas.

O Pré-projeto de Pesquisa Pronto que está abaixo apresenta muito bem a ideia da elaboração do TCC que será desenvolvido, e saiba, é de grande importância a boa construção de um anteprojeto deste (claro, na sua área) pois você entende sua pesquisa, sabe o rumo que ela vai tomar, sem contar que com este pré-projeto pronto, a introdução do seu TCC, de sua pesquisa propriamente dita, estará praticamente escrita! Arrisco a dizer mais da metade dela já estará pronta.

 

O que há de tão particular em um anteprojeto de pesquisa?

Uma das principais funções da universidade é, sem sobra de dúvidas, a produção de conhecimento. Eu sei que talvez você não tivesse essa noção quando viu o tão sonhado aprovado escrito ao lado do seu nome no resultado do vestibular ou quando você se inscreveu em uma pós-graduação.

Ao longo da sua graduação você foi estimulado a fazer várias pesquisas, mas não uma pesquisa comum e sim, uma com rigor acadêmico, com normas específicas e métodos pré-estabelecidos, além, é claro, de uma finalidade muito importante.

E aí surge o Pré-projeto de Pesquisa.

Você já deve ter ouvido o seu professor pedir um trabalho para a sua turma e ao final de passar a tarefa disse: Turma, quero o trabalho no formato da ABNT.

Para nossa sorte, existe um manual que ajuda a criar um padrão para a apresentação de futuros estudos científicos. Imagine só, se cada instituição ou pessoa resolvesse fazer do jeito dela. Seria uma bagunça! Não é mesmo?

É isso que farei hoje! Vou te apresentar um Pré-projeto de Pesquisa Pronto em Pedagogia, dentro das normas para você adaptar a sua área de formação.

Para acessar o conteúdo completo deste artigo, acesse: https://alunoexpert.com.br/pre-projeto-de-pesquisa-pronto/

 

sexta-feira, 23 de setembro de 2022

Como fazer Resenha Crítica Nota 10 Passo a Passo

Saiba como fazer uma Resenha Crítica

Resenha Crítica: como fazer em 10 passos 

Durante seus estudos, você pode ser solicitado a escrever uma resenha crítica de um livro, capítulo de livro ou artigo de jornal. E se você não sabe muito bem como fazer uma resenha crítica, separamos nesse conteúdo um passo a passo completo sobre o assunto.

Essa forma de avaliação exige que você examine criticamente um texto à luz do que sabe sobre esse campo de pesquisa.

Sua revisão crítica é escrita para um leitor, seu professor ou tutor, que é conhecedor da disciplina e está interessado não apenas na abrangência e conteúdo da redação que está sendo revisada, mas também em sua avaliação crítica das ideias e argumentos que estão sendo apresentados pelo autor.

A seguir, você encontra os principais passos de como elaborar uma resenha crítica de qualidade. Não se esqueça de fazer anotações e ler o conteúdo quantas vezes forem necessárias.

Entenda e produza sua Resenha Crítica

Resenha Crítica: primeiros passos 

Antes de elaborar, entenda a Resenha Crítica 

Antes de listarmos o passo a passo para preparar uma resenha, é importante que você compreenda o que é uma resenha crítica e qual sua função.

Uma resenha crítica descreve a hipótese ou modelo conceitual de um autor com base na literatura-chave em seu campo de estudo. Um dos objetivos da resenha crítica é demonstrar que o revisor possui uma compreensão dominante da literatura a ponto de poder expor suas próprias observações sobre o tema em questão.

A resenha crítica geralmente começa com uma introdução aos conceitos que você gostaria de discutir. Dependendo de quão amplos são os tópicos, isso pode ser simplesmente uma breve visão geral ou pode configurar uma estrutura mais complexa. A discussão que segue até o restante da revisão abordará e discutirá os temas ou tópicos escolhidos com mais profundidade.

A discussão dentro de uma resenha crítica não apenas apresentará e resumirá os temas, mas também envolverá criticamente os vários argumentos, escritos e perspectivas dentro desses temas.

Uma coisa importante a notar é que, semelhante a uma revisão de literatura, você deve manter suas opiniões pessoais, gostos e desgostos de uma revisão. Se você concorda pessoalmente com um estudo ou argumento, e se você gosta ou não, é irrelevante. Em vez disso, você deve se concentrar na eficácia e relevância dos argumentos, considerando elementos como as evidências fornecidas, as interpretações e a análise dos dados, se um estudo pode ou não ser tendencioso de alguma forma, quais outras questões ou problemas ele levanta ou quais lacunas e questões pendentes precisam ser abordadas.

Como escrever uma Resenha Crítica?

Passo a Passo: escreva sua Resenha Crítica

Exemplo de passos para escrever uma Resenha Crítica 

Vamos ser repetitivos aqui. Mas são importantes estes pontos a seguir, se você realmente quer qualidade em sua resenha crítica.

Quando você for solicitado a elaborar uma resenha crítica de um livro ou artigo, precisará identificar, resumir e avaliar as ideias e informações apresentadas pelo autor.

Em outras palavras, você estará examinando os pensamentos de outra pessoa sobre um tópico do seu ponto de vista.

Sua escrita deve ir além de sua interpretação inicial ao trabalho e se basear em seu conhecimento (leituras, palestra, experiência) do tópico, bem como em fatores como critérios estabelecidos em sua tarefa ou discutidos por você e seu instrutor.

Deixe sua posição clara no início de sua resenha, em suas avaliações de partes específicas e em seu comentário final.

Lembre-se de que seu objetivo deve ser destacar alguns pontos-chave sobre o livro ou artigo, não discutir tudo o que o autor escreve.

Entenda como preparar a Resenha Crítica

Primeiros passos para começar a escrita da sua Resenha Crítica 

Passos importantes para iniciar sua resenha crítica

Para iniciar a tarefa, você precisa ler e analisar criticamente o artigo. Ao ler o texto, tenha algumas perguntas em mente para orientar sua análise e ajudá-lo a se concentrar nas áreas a serem criticadas.

As perguntas a seguir são algumas ideias sobre como se envolver com o texto e ajudá-lo a formar sua análise crítica:

−Objetivos: o que o artigo se propõe a fazer?

−Teoria: existe um referencial teórico explícito? Se não, existem pressupostos teóricos importantes?

−Conceitos: quais são os conceitos centrais? Estão claramente definidos?

−Argumento: qual é o argumento central? Existem hipóteses específicas?

−Método: quais métodos são empregados para testá-los?

−Provas: são fornecidas provas? Quão adequado é?

−Valores: as posições de valor são claras ou estão implícitas?

−Literatura: como a obra se encaixa na literatura mais ampla?

−Contribuição: quão bem o trabalho avança nosso conhecimento sobre o assunto?

−Estilo: quão clara é a linguagem/estilo/expressão do autor?

−Conclusão: uma breve avaliação geral.

Ao analisar criticamente o texto, considere como ele se relaciona com os materiais do seu curso, com os outros artigos ou livros que você leu e com o material da aula.

Isso pode ajudá-lo a encontrar evidências de apoio ou modelos teóricos alternativos ou interpretações de dados.

Composição de uma Resenha Crítica

Modelo de estrutura e elaboração de uma Resenha Crítica 

Estruturando a elaboração da resenha 

Depois de responder as perguntas listadas acima, chegou o momento de estruturar a sua resenha. Ou seja, nessa etapa do processo você já tem todas as informações necessárias para “dar vida” ao seu texto.

A seguir, separamos um modelo de estrutura que costuma ser comum em resenhas críticas:

Introdução 

Inicialmente, identifique o texto (autor, título, data de publicação e outros detalhes que pareçam importantes), indique os pontos principais que você irá discutir e exponha sua mensagem geral sobre o texto.

Desenvolvimento 

Resuma brevemente o alcance, o conteúdo e o argumento do texto. Ocasionalmente você pode resumir todo o texto, mas em uma revisão curta (1000-1500 palavras) você normalmente pega apenas os temas principais. Esta seção normalmente não deve ocupar mais de um terço da revisão total.

Discuta criticamente 2-3 questões-chave levantadas no texto. Esta seção é o núcleo de sua revisão. Deixe claro o próprio argumento do autor antes de criticá-lo e avaliá-lo. Apoie suas críticas com evidências do texto ou de outros escritos. Você também pode indicar lacunas no tratamento de um tópico pelo autor, mas raramente é útil criticar um escritor por não fazer algo que nunca pretendia fazer.

Conclusão 

Avalie a contribuição geral que o texto trouxe para sua compreensão do tema (e talvez sua importância para o desenvolvimento do conhecimento nessa área ou disciplina específica, situando-o no contexto de outros escritos da área).

Revise e refine seu trabalho 

Leia sua análise crítica para garantir que ela soe tão profissional quanto deveria. Corrija quaisquer erros ortográficos e gramaticais e frases estranhas quando você os vir. Ler sua análise crítica em voz alta pode ajudá-lo a identificar mais áreas de melhoria.

Fazer esta etapa algumas horas ou mesmo alguns dias depois de escrever sua análise crítica, se você tiver tempo, também pode ser mais eficaz. Revise e refine seu trabalho quantas vezes precisar até ficar satisfeito com sua análise crítica.

Se precisar de informações extras, você também pode pedir a um colega de confiança, amigo ou editor profissional para revisar seu trabalho. Sua perspectiva objetiva pode identificar mais erros e ajudar a tornar sua análise crítica ainda melhor.

Produzindo sua Resenha Crítica

Informações valiosas para escrever sua Resenha Crítica 

Dicas para escrever uma boa resenha crítica 

O uso de estratégias de redação comprovadas pode tornar suas resenhas críticas ainda melhores. Incorpore as seguintes dicas em suas práticas de escrita para melhorar suas análises críticas:

−Faça uma referência cruzada ao seu esboço: Referir-se ao seu esboço durante o processo de escrita ajuda você a manter o foco e cobrir todos os pontos pretendidos.

−Use palavras e frases de transição: Palavras e frases de transição, como “portanto” e “além disso”, ajudam suas frases e parágrafos a fluir e a criar conexões entre suas ideias.

−Seja conciso: Escrever sucintamente torna sua escrita clara e mais persuasiva.

−Seja lógico: Suas análises críticas devem ser organizadas de uma forma que faça sentido com ideias que fluem naturalmente.

−Escreva na voz de terceira pessoa: A menos que você seja aconselhado de outra forma, escrever sua análise crítica na voz de terceira pessoa dá ao seu trabalho um senso de autoridade. O leitor acredita que seu trabalho é um fato e não simplesmente sua opinião.

E aí? O que você achou das nossas informações sobre os passos de como fazer sua Resenha Crítica?

Deixe seu feedback!

O artigo Como fazer Resenha Crítica Nota 10 Passo a Passo apareceu primeiro em Aluno Expert.



Publicado primeiro em Aluno Expert https://ift.tt/tQ5y6ik

quarta-feira, 14 de setembro de 2022

O que é uma Resenha Crítica?

Resenha Crítica: o que é?

Conheça Resenha Crítica e seu significado 

Resenha Crítica: você sabe o que é? Seu significado e conceito? Está enfrentando o dilema de ter que fazer uma resenha crítica? Fique sabendo que desenvolver ideias únicas para escrever e desenvolver uma história que vale a pena ler pode ser um desafio.

Mesmo quando as ideias já estão na cabeça, escrever exige pesquisa e muita organização, além de criatividade.

Mas você já sabia disso, certo?

O que muitas pessoas não conseguem enxergar, no entanto, é que todos esses processos para uma escrita eficaz dependem de quão bem você desenvolveu suas habilidades de pensamento crítico.

Você pode aprender tudo sobre a estrutura da história e todas as regras que a acompanham, como formatação, linguagem e regras gramaticais, mas aplicar suas ideias efetivamente em um texto real requer pensamento crítico.

O pensamento crítico é o que une todos os processos de escrita e define seu estilo de escrita.

Seja no meio acadêmico ou fora dele, desenvolver o pensamento crítico é essencial para se tornar uma pessoa melhor, aumentar seu leque de oportunidades e aumentar sua visão em relação ao mundo ao seu redor.

Para te ajudar a entender o que é uma resenha crítica, os principais aspectos desse estilo de escrita e como você pode começar a desenvolver uma, separamos nesse conteúdo uma série de informações importantes sobre o assunto.

→ E se você estiver precisando de uma assessoria profissional para auxiliar na escrita de uma resenha, pode acessar aqui

Você sabe o Conceito de Resenha Crítica?

Resenha Crítica: resumo e avaliação das ideias e informações em um artigo

O que é uma Resenha Crítica 

Vamos direto ao significado de Resenha Crítica.

Uma revisão crítica é o resumo e a avaliação das ideias e informações em um artigo. Com ela você expressa o ponto de vista do escritor, ou seja, suas impressões, em relação ao que já se sabe sobre o assunto e, também, o que é adquirido através de textos da mesma natureza. E tem mais!

Revisar criticamente significa pensar com cuidado e clareza e levando em consideração os pontos fortes e deficiências no material em análise.

Quando lhe for solicitado a escrever uma resenha crítica, será necessário fazer duas coisas principais: resumir e avaliar um texto.

A revisão crítica pode ser de um livro, um capítulo ou um artigo de periódico. Geralmente é solicitado que você leia o texto selecionado detalhadamente e também outros textos relacionados para apresentar uma avaliação racional e prática do texto selecionado.

Ser crítico não significa simplesmente criticar de forma negativa. Em vez disso, exige que você questione o texto e apresente seu julgamento ou avaliação razoavelmente.

Embora as revisões críticas possam ter critérios de avaliação diferentes dependendo da sua disciplina, elas geralmente têm uma estrutura semelhante.

Para redigir a revisão corretamente, você deve verificar as instruções de sua atribuição em relação à formatação, critérios específicos da disciplina e outros requisitos.

A importância da Análise Crítica no meio acadêmico 

A análise crítica é muitas vezes considerada necessária ao revisar literatura ou filmes.

Na verdade, não se restringe apenas a isso.

Pode parecer assustador, mas na verdade é algo que a maioria das pessoas já faz automaticamente de forma regular, consciente ou inconscientemente.

Por exemplo, simplesmente preferir comer em um determinado restaurante pode ser o resultado de uma análise crítica em uma escala muito menor e menos formal.

Ou mesmo a escolha de uma determinada marca entre as muitas outras disponíveis é uma demonstração de pensamento crítico e análise.

Outro exemplo do uso cotidiano da análise crítica na vida das pessoas é sua opinião e comportamento em relação aos outros que encontram em sua vida diária, especialmente aqueles com quem se encontram regularmente.

Como é usada e qual a importância da Análise Crítica no trabalho acadêmico?

Análise Crítica dentro do meio acadêmico

Significado e Conceito:  a análise crítica é essencialmente uma avaliação 

Inclui uma análise cuidadosa do tema em questão e da opinião/julgamento que dele resulta. “Crítico” neste contexto não implica automaticamente uma avaliação negativa.

Em vez disso, significa que o escritor não apenas leu e entendeu o que escreveu, mas também reconheceu os aspectos positivos e negativos, comparou e refletiu sobre eles e, finalmente, fez um julgamento informado como resultado.

Características da Resenha Crítica

Entenda e escreva sua Resenha Crítica  

Duas habilidades importantes para entender e escrever uma resenha crítica 

Para escrever um texto é importante se apoiar em uma série de habilidades, que são totalmente treináveis. Na hora de redigir uma resenha crítica, duas habilidades se mostram extremamente necessárias para que o trabalho seja bem-feito e relevante.

As duas habilidades mais importantes ao escrever uma resenha crítica são:

Busca de informações: O material a ser analisado durante sua resenha crítica precisa te proporcionar boas informações sobre o assunto, e você precisará estudá-lo e escaneá-lo diversas vezes para ficar de fato bem-informado sobre o assunto. Além disso, pode ser necessária a busca de informações em outros materiais, para facilitar o entendimento do assunto e também comparar diferentes obras sobre o mesmo tema.

Revisão: Após a escrita da sua resenha crítica, revisar o conteúdo é fundamental não só para garantir que todas as regras ortográficas e de concordância estejam sendo seguidas, como, também, para fazer uma avaliação mais profunda e julgar se o trabalho desenvolvido é coerente com o que foi lido.

Uma revisão ou avaliação eficiente requer uma consciência da essência, da ideia central, do propósito e do público-alvo do texto. O texto é analisado a partir de uma variedade de perspectivas, de fontes relacionadas, e avaliadas em relação às teorias, abordagens e estruturas da tarefa esperada.

Esta avaliação envolve a análise do conteúdo e conceitos do texto, separando-os em seus componentes principais, para então compreender como estes se inter-relacionam, conectam e influenciam uns aos outros.

Algumas perguntas a serem feitas ao começar a escrever uma resenha crítica

Depois de entender o que é uma resenha crítica e quais habilidades você deve ter ao escrever uma, chegou o momento de finalmente começar a pensar na forma em que seu texto será escrito.

Para guiar esse processo, perguntas norteadoras podem ser utilizadas e suas respostas vão proporcionar que as primeiras ideias da resenha crítica comecem a surgir.

Perguntas a serem feitas ao começar a escrever uma resenha crítica:

  • Qual é a principal área sob discussão deste material?
  • De onde vêm os dados e evidências do escritor?
  • Quais são as principais questões levantadas pelo escritor?
  • Quais são as melhores interpretações feitas pelo autor em relação às questões levantadas?
  • O texto está equilibrado? Justo? Enviesado?
  • Quão bem tudo isso se relaciona com outras literaturas sobre o tema?
  • Como você pode resumir todos os pontos acima?

Portanto, ao responder essas perguntas uma parte essencial do trabalho já estará encaminhada e o próximo passo é unir essas informações de forma coerente.

Dicas para escrever e construir uma Resenha Crítica.

Informações valiosas dos elementos usados para escrever uma Resenha Crítica.  

O conteúdo de uma Revisão Crítica

Uma resenha crítica geralmente tem de uma a quatro páginas, o conteúdo de uma resenha costuma seguir um formato padrão. O que facilita muito na hora de escrever as informações e encontrar um timing certo para cada informação.

Ao escrever uma resenha crítica, é importante que o autor apresente em seu texto os seguintes elementos:

INTRODUÇÃO: Começa com frases de abertura que indicam o escritor, o título e dão uma breve explicação sobre o tema do texto. O objetivo do texto e um resumo das principais descobertas ou principais argumentos são apresentados. No final da introdução, uma breve declaração da avaliação do texto é dada.

RESUMO: Apresenta um resumo dos pontos principais do artigo e alguns exemplos. para breve explicação do propósito do escritor e a organização do texto também podem ser adicionadas. Esta seção da revisão crítica não deve ultrapassar um terço do total.

A RESENHA CRÍTICA: Discute e avalia os pontos fortes, fracos e características importantes do texto. A discussão deve ser baseada em critérios específicos e incluir outras fontes para apoiá-la, com referências.

CONCLUSÃO: Conclui a revisão com uma reafirmação da opinião geral do texto. Também pode incluir recomendações e algumas explicações adicionais do julgamento para mostrar que ele é justo e razoável.

REFERÊNCIAS: Uma lista de referências deve ser incluída no final se outras fontes tiverem sido usadas.

E aí? O que você achou das nossas informações sobre o que é uma resenha crítica e as principais características deste gênero textual? Deixe seu feedback!

O artigo O que é uma Resenha Crítica? apareceu primeiro em Aluno Expert.



Publicado primeiro em Aluno Expert https://ift.tt/z2ltYUX

segunda-feira, 5 de setembro de 2022

Rigor Metodológico: saiba tudo em nosso guia!

Entenda tudo sobre Rigor Metodológico

Conheça tudo a respeito de Rigor Metodológico 

Se você quer entender sobre Rigor Metodológico já é sinal que está no caminho certo. Definir a metodologia de pesquisa antes de começar a escrever um trabalho acadêmico e científico é uma etapa fundamental e que simplesmente não pode ser deixada para depois.

Para muitos estudantes, principalmente aqueles que estão se aproximando do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), estudar sobre metodologias de pesquisa pode ser uma tarefa árdua.

Porém, insistir nesses estudos será extremamente valioso nas próximas etapas da vida acadêmica.

Ao entender os conteúdos e características que envolvem uma pesquisa, o processo tende a se tornar mais simples!

Além disso, definir a metodologia para o trabalho é uma etapa fundamental para garantir o rigor científico ao estudo que está em fase de desenvolvimento.

Para facilitar o entendimento sobre rigor na pesquisa, e mais especificamente, o que é o rigor metodológico e quais são os principais tipos de metodologias que podem ser escolhidas para a produção de uma pesquisa científica, o nosso site preparou esse conteúdo de forma exclusiva para abordar esse assunto da forma mais objetiva possível.

Vamos lá!

Você sabe o que é Rigor Metodológico no meio acadêmico?

Rigor no meio acadêmico: entenda o significado 

O que é o Rigor no meio acadêmico? 

Primeiramente, devemos entender o que significa o rigor no meio acadêmico. Após a compreensão deste termo, se tornará mais simples entender sobre sua importância dentro de uma pesquisa científica.

O rigor em uma pesquisa científica significa, de forma simplificada, um controle de qualidade. Ou seja, sem o rigor na pesquisa, não é possível produzir ciência!

Em outras palavras, para fazer com que a sua pesquisa seja válida, confiável e autêntica você precisará do rigor. E, embora pareça um termo complicado e subjetivo, é necessário assimilar a ideia de que o rigor virá sempre primeiro em um estudo.

Apesar do rigor proporcionar a validação, confiabilidade e reprodutibilidade de uma pesquisa, em alguns casos ele pode não ser considerado um critério absoluto.

O que significa o Rigor Metodológico?

Entenda o significado e a importância do Rigor Metodológico 

 O que é o rigor metodológico? 

E o que significa Rigor Metodológico?

Após entender um pouco mais sobre o conceito de rigor, entra em cena uma das partes mais importantes de uma pesquisa científica, que é a metodologia. E dentro dessa noção, surge a importância de seguir o rigor metodológico.

Como já comentamos anteriormente, o rigor trata-se de um conjunto de elementos que determinam a validade de um estudo. Logo, o rigor metodológico tem como objetivo investigar e definir o futuro de uma pesquisa com base na metodologia e resultados obtidos.

O rigor metodológico garante a validade e autenticidade do estudo realizado.

Ele é composto por alguns critérios fundamentais, que são:

– Veracidade: análise do nível da evidência e o seu grau de confiabilidade.

– Aplicabilidade: o método de pesquisa aplicado em determinado estudo deve conduzir a resultados úteis para a área de atuação do pesquisador e que possam contribuir para o avançar do seguimento.

– Consistência: ponto chave que garante o rigor na condução de um estudo, garantindo a construção de credibilidade e torna legítimo o estudo realizado.

– Neutralidade: No rigor metodológico, é preciso pensar na neutralidade científica enquanto uma imparcialidade do trabalho realizado. Ou seja, o pesquisador não deverá se envolver de forma emocional no tema abordado. Mesmo que em algumas instâncias haja interações entre pesquisador e pesquisados, na hora da escolha dos métodos e análise dos resultados é preciso que o autor do trabalho se distancie do grupo de estudo para ter um olhar mais fidedigno com a realidade observada.

Bom, e quais são os métodos de pesquisa?

Vamos falar deles?

Rigor Metodológico: principais características de cada tipo

Listagem de principais metodologias 

Principais métodos de pesquisa 

Para que um trabalho científico seja produzido com qualidade e rigor científico, o estudante deve ter conhecimento dos métodos de pesquisa. Afinal, somente a partir da escolha do método será possível realizar o trabalho com excelência.

Os métodos de pesquisa auxiliam e norteiam o responsável pelo projeto científico na realização, descrição e argumentação de todo o estudo.

Além disso, eles também servem para guiar o aluno para as abordagens, coletas de dados e técnicas que devem ser utilizadas durante a pesquisa.

A seguir, listamos os principais métodos de pesquisa utilizados e as características que permeiam cada tipo.

→ Você pode aprofundar mais este assunto, lendo nossos outros artigos a respeito de metodologia abaixo:

– Pesquisa qualitativa:

A pesquisa qualitativa envolve a coleta e análise de dados não-numerais, ou seja, trata de entender opiniões, conceitos ou experiências. Esse tipo de pesquisa pode ser usado para analisar problemas de forma profunda ou propor novas ideias para debates.

O modelo de pesquisa qualitativa é mais usado nas áreas de ciências humanas.

– Pesquisa quantitativa:

A pesquisa quantitativa é definida pelo processo de coleta e análise de dados numéricos. Pode ter como objetivo fazer previsões, desenvolver padrões e porcentagens, generalizar resultados ou propor testes.

Esse modelo de pesquisa é mais usado nas áreas de ciências naturais e sociais como, por exemplo, biologia, economia, marketing, química, etc.

– Pesquisa quali-quanti (ou mista):

Como o próprio nome já sugere, esse modelo de pesquisa envolve os dois tipos de pesquisa citados acima.

Uma pesquisa baseada na metodologia quali-quanti tem como objetivo coletar e analisar dados numéricos e não numéricos. Enquanto a pesquisa quantitativa lida com números e dados estatísticos, a pesquisa qualitativa lida com as palavras e seus significados.

– Pesquisa descritiva:

Essa metodologia tem como objetivo descrever de forma acurada e sistemática alguma situação, fenômeno ou população.

O pesquisador que escolhe esse tipo de pesquisa não tem controle ou pode manipular as diferentes variáveis, seu trabalho tem foco apenas na observação e mensuração do estudo.

A pesquisa descritiva busca responder às perguntas o quê, onde, quando e como. Porém, não coloca o pesquisador como responsável em responder ao porquê de determinado acontecimento.

– Pesquisa exploratória:

Esse modelo de pesquisa tem como principal objetivo investigar questões que não foram exploradas de forma profunda anteriormente.

Geralmente, a pesquisa exploratória é de natureza qualitativa. Porém, dependendo da abordagem utilizada durante a pesquisa, pode ser de natureza quantitativa também.

– Pesquisa de campo:

Esse modelo de pesquisa é definido como de natureza qualitativa, uma vez que tem como principal objetivo a coleta de dados com a intenção de realizar uma observação detalhada.

Através de uma pesquisa de campo o pesquisador pode observar, interagir e entender os sujeitos enquanto eles estão em seus meios de convivência.

– Pesquisa bibliográfica:

Uma pesquisa bibliográfica pode ser definida como qualquer pesquisa que utiliza informações em materiais já publicados para confirmar ou rejeitar alguma tese.

Os materiais de pesquisa nesta metodologia podem ser recursos como, por exemplo, revistas, livros, diários, gravações, recursos online, etc.

– Pesquisa exploratória:

A pesquisa exploratória é aquela que busca compreender um problema subjetivo, ou seja, que não está claramente definido. Ao longo do estudo é possível ter um melhor entendimento do problema, mas dificilmente encontrar resultados conclusivos.

O pesquisador que escolhe esse tipo de metodologia pode iniciar o estudo com uma ideia generalista e ao longo da pesquisa utilizá-la para encontrar uma média para identificar outros problemas.

Geralmente, uma pesquisa exploratória é usada para responder questionamentos como o quê, porquê e como.

– Pesquisa explicativa:

O método de pesquisa explicativa é aquele que explora o motivo de determinado acontecimento, principalmente quando existe um número de informações limitado para o estudo.

Esse modelo de pesquisa consegue ajudar o pesquisador a aumentar o entendimento de determinado tópico, verificar porque determinados fenômenos ocorrem e prever outros aspectos que tendem a se repetir no futuro.

E aí?

O que você achou das nossas informações sobre o conceito de rigor metodológico e tipos de metodologias que são viáveis para o desenvolvimento de um bom estudo?

O artigo Rigor Metodológico: saiba tudo em nosso guia! apareceu primeiro em Aluno Expert.



Publicado primeiro em Aluno Expert https://ift.tt/khVn8U6

segunda-feira, 29 de agosto de 2022

Rigor Científico: aprenda tudo com nosso guia!

Compreenda tudo a respeito do Rigor Científico

Guia completo sobre Rigor Científico  

Nos últimos anos se acentuaram as discussões sobre a integridade das pesquisas acadêmicas e científicas e o rigor científico acabou entrando em pauta, especialmente no âmbito da produção científica e os desafios associados a ela.

Entre os diversos desafios que foram identificados, se encontram os de caráter ético e metodológico que confrontam a confiabilidade dos resultados obtidos nas investigações.

No contexto das publicações acadêmicas, as transformações nas políticas editoriais da produção científica têm sido notáveis, especialmente nos últimos 15 anos.

Levando essas questões em consideração, o nosso site resolveu reservar um conteúdo exclusivo para falar sobre o rigor científico e sua importância para a produção de ciência no Brasil.

Rigor Científico significado

Entenda o significado e conceito de Rigor Científico 

O que é Rigor Científico? Entenda o conceito e seu significado. 

Primeiramente, precisamos evitar confundir o rigor científico com conceitos como a precisão das medições, a quantificação e a generalização nas pesquisas.

Esses conceitos são escolhas que devem ser feitas por cada pesquisador para determinar a melhor maneira de cumprir com os objetivos da pesquisa e não são algo que se deve desejar intrinsecamente.

Os pesquisadores devem ser cautelosos na hora de afirmar que algumas técnicas de coleta de dados ou técnicas de análise de dados são “mais” rigorosas que outras.

É aconselhável, portanto, ser cauteloso na hora de reclamar dos “estándares” fixos para técnicas metodológicas específicas.

Dito isso, vamos deixar claro então o que é Rigor Científico? Deveremos entender o rigor científico enquanto um princípio da ciência que requer alegações que alterem determinados paradigmas vigentes, desde que tenha passado por um método científico, o qual deve ser restrito e cuidadoso. E tem mais.

Somente depois de ter passado por esse processo é que uma evidência em detrimento de uma hipótese, poderá ser aceita pela ciência.

Devemos destacar que essa hipótese não será tomada como verdadeira, mas sim como uma afirmação que não é falsa, sobrevivendo ao que chamam no meio científico “falseabilidade”.

Em exemplo disso foi quando Galileu afirmou que as quedas dos corpos não apresentavam nenhum tipo de aceleração ou velocidade que fosse proporcional a sua massa, o que também havia sido afirmado por Aristóteles, mas que se apresentava como igual para todos os corpos, não dependendo do peso de suas massas.

Para isso, Galileu fez inúmeras experiências científicas e apresentou os resultados obtidos para outros teóricos da área, eles avaliaram com rigor científico as informações, até aprová-las como verdadeiras.

Hoje em dia, quando um pesquisador quer publicar a sua pesquisa em uma revista científica, por exemplo, o seu estudo passa por uma avaliação antes de ser aprovado, é aí que o rigor científico é aplicado.

Alguns tipos de modelos de avaliação do Rigor Científico

Rigor Científico: modelos de avaliação 

Modelos de avaliação do rigor científico 

Como você pode observar no tópico anterior, o rigor científico é importante para dar maior autoridade a uma pesquisa.

Sendo assim, cabe destacar alguns modelos de avaliação do rigor científico que abarcam o compromisso ético deste tipo de análise:

  • Valor social ou científico da pesquisa feita: A pesquisa deve apresentar certa importância para a sociedade e planejar soluções que gerem o bem-estar da população ou a produção do conhecimento que acarrete na resolução dos seus problemas.
  • A pesquisa deve ter validez científica: Neste caso, o estudo deve ter algo a ver com o planejamento de propósitos claros, aplicação de um método de pesquisa que seja coerente com o fenômeno estudado e a necessidade social com a seleção dos sujeitos, os instrumentos e as relações que estabelece o pesquisador com as pessoas.
  • Seleção equitativa dos sujeitos da pesquisa: Deverá assegurar que os participantes são escolhidos por razões relacionadas com as perguntas científicas propostas.
  • Proporção favorável do risco/benefício: Justificar plenamente que os benefícios da pesquisa são mais altos que os riscos que acarreta.
  • Condições de diálogo autêntico: O estudo deve garantir e fomentar a interlocução espontânea dos participantes, evitando forçá-las a tomar posições que não expressem sua identidade cultural própria. Os processos dialógicos neste caso, permitirão construir a orientação dos interesses do coletivo.
  • Avaliação independente: É a orientação objetiva que deve procurar o pesquisador sobre a informação coletada para evitar influência nos resultados, produto dos seus próprios juízos.
  • Consentimento informado: O pesquisador deve assegurar-se que os participantes da pesquisa o fazem por vontade própria e com o conhecimento suficiente para decidir com responsabilidade sobre si mesmos. Outro aspecto está relacionado a que a sua participação no trabalho seja compatível com seus valores, interesses e preferências.
  • Com relação aos sujeitos inscritos: Neste ponto, implica-se várias coisas, tais como permitir que o participante possa mudar de opinião ou decidir se a pesquisa concorda ou não com os seus interesses. Neste caso, pode-se retirar sem receber nenhum tipo de sanção. Outro aspecto está relacionado à reserva no manuseio de informações. Além disso, implementa um mecanismo para informar os participantes sobre os resultados e o que foi aprendido com a pesquisa. Por fim, o bem-estar e a segurança do participante devem prevalecer ao longo da pesquisa.

Em relação ao que foi exposto na listagem anterior, podemos nos dar conta que existem múltiplas formas de construir a validez de uma pesquisa científica.

De fato, cada pesquisador que desenvolve o seu trabalho investigativo assume a maneira de examinar e fundamentar a validez, com base nas recomendações provenientes da numerosa bibliografia para definir sua pesquisa, técnica metodológica empregada e capacidade como pesquisador.

Outra consideração de interesse que pode ser observada numa revisão documental, por exemplo, é que ainda persiste a polêmica entre os modelos de pesquisa qualitativa e quantitativo, a qual abarca o tema do rigor científico, observando-se algumas críticas às formas de apresentar a validez da pesquisa em um outro modelo.

No caso da revisão documental, é primordial para um trabalho de pesquisa, contar com fontes referenciais suficientes e de qualidade para contribuir positivamente na construção da validação da pesquisa.

Conheça as técnicas e objetivos das pesquisas do Rigor Científico

Técnicas metodológicas com Rigor Científico

Técnicas e objetivos das pesquisas com rigor científico 

As técnicas metodológicas com rigor científico compartilham um conjunto comum de propriedades básicas, mas também incluem uma ampla gama de variações e matizes.

O poder de uma determinada técnica de pesquisa reside em sua capacidade de adaptar-se às múltiplas situações da investigação científica. Truncar a variabilidade em torno de uma técnica acabará por tornar a ferramenta menos útil.

Isso inclui também os intentos de vincular técnicas específicas aos objetivos de pesquisa concretos: como ferramentas, os métodos não são mais do que um meio de se alcançar um fim.

É surpreendente como esses meios podem adaptar-se para servir a muitos objetivos diferentes, por exemplo, é mais fácil imaginar cenários nos quais as comparações por pares poderiam ser utilizadas para explorar, descrever, comparar ou provar hipóteses.

No entanto, os pesquisadores deveriam deixar de associar as normas e o rigor científico unicamente com a pesquisa confirmatória e baseada em hipóteses.

Não existe nenhuma razão pela qual não se possam estabelecer normas de rigor científico também para a pesquisa exploratória e descritiva, ainda que alguns dos critérios possam variar em função dos objetivos específicos da pesquisa. Alguns desses critérios são transversais a todos os tipos de pesquisa.

Uma pesquisa com rigor científico (digna de confiança) é aquela que aplica as ferramentas de pesquisa adequadas para cumprir com os objetivos declarados pelo pesquisador.

Por exemplo, para determinar se uma pesquisa exploratória é rigorosa, o pesquisador teria que responder uma série de perguntas metodológicas, tais como:

  • Produzem as ferramentas de coleta de dados à informação adequada para o nível de precisão requerido na análise?
  • As ferramentas maximizam a possibilidade de identificar toda a gama do que devemos saber sobre o fenômeno?
  • Até que ponto as técnicas de coleta de dados devem gerar o nível de detalhe necessário para responder às perguntas da pesquisa?
  • Em que medida as ferramentas maximizam a possibilidade de produzir dados com padrões discerníveis?

E aí?

O que você achou das nossas informações sobre o conceito de rigor científico e como ele se aplica nas pesquisas?

Deixe seu feedback!

O artigo Rigor Científico: aprenda tudo com nosso guia! apareceu primeiro em Aluno Expert.



Publicado primeiro em Aluno Expert https://ift.tt/isOl2W3